terça-feira, junho 07, 2005

Porque o 6 de Junho deve ser todos os dias....

"Vive livre ou morre"

Açores Sempre

"Livre Administraçمo dos Açores pelos Açorianos"
"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

quinta-feira, maio 05, 2005

Aonde param os milhões?!

A propósito desta entrevista lembrei-me dos milhões que os Açorianos, através do seu Governo, depositaram nas contas bancárias do Santa Clara.

Apenas uma questão...aonde param esses milhões?

Não há paciência!

"Livre Administração dos Açores pelos Açorianos"
"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Já não era sem tempo....

Não tenho duvidas quanto à necessidade de se apostar fortemente em I&D (expressão muito na moda). Por isso, qualquer medida que se anuncie nesta área, por mais pequena que seja, é sempre de louvar.

Contudo, não podia deixar passar em branco a exiguidade das medidas apresentadas. De duas uma: ou teremos um grande plano de desenvolvimento em I&D ou, por outro lado, ficaremos no plano das intenções (novamente).

Os Açores, e espero que os responsáveis já tenham “visto” isto, só poderão dar o salto qualitativo e quantitativo nesta área se conseguirem captar investimento estrangeiro. Alguém o vê por ai? Esperemos que as próximas medidas contemplem alterações, substanciais, na “majoração” do investimento externo melhorando, por exemplo, as condições fiscais para investidores externos. No entanto, para que tal aconteça é obrigatório alterar a Lei das Finanças Regionais e, consequentemente, todo o quadro legislativo açoriano (é lógico que tem tudo a ver com a revisão do nosso Estatuto).

Engraçado como as coisas se combinam! I&D, Finanças Regionais e Estatuto Politico-Administrativo dos Açores.

Mais Auto-Governo é sinónimo de mais Bem-Estar.


"Livre Administração dos Açores pelos Açorianos"
"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Amorfismo

Não existem duvidas que é urgente reformar o nosso sistema político. As vias, os critérios e as formas dessa refundação podem ser diversas, de diversa magnitude e em várias direcções.
Todas as reformas são dolorosas para quem está instalado no sistema ou, numa análise mais profunda e sistemática, para quem depende dele. Não tenhamos duvidas que as inércias existentes são muitas.

Uma das formas encontradas para começar a “reformar” o bendito sistema, foi a limitação dos mandatos dos detentores dos cargos políticos (proposta da republica). Essa medida, apresentando-se como sendo socialmente encorajadora e politicamente incorrecta, para alguns senhores feudais, é, de um modo geral, limitadora. Numa sociedade verdadeiramente evoluída a questão da limitação dos mandatos não se coloca.

À luz dos interesses Açorianos, e como princípio geral, a limitação dos mandatos é positiva. No entanto, é triste assistir, mais uma vez, ao amorfismo do órgão máximo da nossa Autonomia. Não entrando na discussão da inconstitucionalidade da proposta da república, não se pode ter duvidas que a iniciativa de limitar, ou não, os mandatos dos políticos nos Açores devia ter partido da nossa Assembleia. A ausência, quase permanente, dos nossos deputados em torno da discussão dessas temáticas é fruto da inércia à mudança do sistema.

Se não bastasse o erro de aumentar o número de deputados da ALRAA, uma vez mais os nossos representantes ficaram a ver passar os navios.

Contudo, seria injusto não reconhecer que o PSD/Açores foi o único a chamar a atenção para o problema, mas, para não variar, ficou-se por ai. E os outros aonde param? Devem estar a reflectir!

P.S. Este "post" sairá na edição de amanha do Expresso das Nove.

"Livre Administração dos Açores pelos Açorianos"
"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

domingo, maio 01, 2005

(In) Tolerância

O que se esta a passar em Timor é muito preocupante. Estamos a assistir, mais uma vez, a fenómenos de intolerância religiosa. Para aqueles que defendem a Igreja Católica como sendo um centro de virtudes, e do diálogo ecuménico, os últimos acontecimentos demonstraram exactamente o contrário. Até já realizam julgamentos populares. Incrível... Mais grave…estamos a assistir à ingerência, descarada, de um Estado estrangeiro (Vaticano), através das suas “embaixadas” (dioceses de Dili e de Bacau) nos assuntos internos de um país soberano (Timor-Leste ou Timor Lorosae). Tudo porque o governo soberano de Timor decidiu tornar facultativo a disciplina de Religião e Moral. Acham normal?Aonde esta a moralidade apregoada? Isto não é admissível! E o que diz o Vaticano sobre o assunto? Nada. Nem uma palavra…para não variar. Apregoando a palavra de Jesus Cristo, os Bispos de Timor envergonham todos aqueles que acreditam na mensagem difundida à 2000 anos. Deviam ter vergonha! Mais uma vez, algumas facções da Igreja Católica põem na pratica atitudes típicas da era das cruzadas.


"Livre Administraç?o dos Açores pelos Açorianos"
"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

sexta-feira, abril 29, 2005

Lá por Espanha...

O que se passa em Espanha (terra amiga e com muitas particularidades) deve ser seguido com muita atenção. Nem que seja pelo facto de termos, cada vez mais, relações económicas e sociais com esse país (e não uma nação, como a comunicação social centralista tenta passar).

Actualmente vive-se em Espanha um período conturbado. Começou com o processo de aprovação do projecto Ibarretxe – proposta para o novo estatuto do País Vasco–, que ainda vai dar que falar. A Catalunha já tem o “rascunho” do seu novo estatuto que, sendo promovido pelo PSC, vai abrir guerra com o partido irmão de Madrid (PSOE). A seguir virá a Galiza, as Canárias, a Andaluzia, Navarra e por ai fora. Espanha vai entrar em ebulição.

O que é que isso tem a ver com os Açores? Tudo. Devemos tirar as ilações necessárias dos processos a decorrer nos pais de nuestros Hermanos. Especialmente o que se esta a passar na Catalunha e nas Canárias (a primeira por razões de comportamento do PSC em relação ao partido mãe, e o segundo caso por razões de ultraperiferia).
Tudo isto para que, aquando da revisão do nosso Estatuto, não se caia no amorfismo do costume e se tenha a coragem de ir o mais longe possível...mesmo que tenhamos que enfrentar a constituição da (ainda) republica portuguesa.

A seguir nos próximos capítulos....


"Livre Administraç?o dos Açores pelos Açorianos"
"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

sábado, abril 23, 2005

Até quando?

Até quando vamos permitir que a nossa determinação, a determinação do povo Açoriano, seja subjugada?

Até quando vamos assistir, impávidos e serenos, às verborreias verbais de alguns senhores?

Até quando vamos permitir….

Após ler este post, no Bule de Chá, muitas questões voltaram à minha mente…questões existencialistas sobre a nossa razão de ser, enquanto região, enquanto povo.

Estou cada vez mais convicto que a nossa vontade, o nosso querer, depende apenas da nossa acção. Pelos vistos, os que defendem uma evolução cada vez maior no nosso sistema não são tão pouco quanto isso.

Mais auto-governo é, sem duvida, sinonimo de mais bem-estar. Açores Sempre!

"Livre Administração dos Açores pelos Açorianos"
"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

segunda-feira, abril 18, 2005

Vassalagem

Muito mal vai uma sociedade quando vive de e para a vassalagem. Noutros tempos, noutras realidades históricas, até se podia admitir tal situação. A sociedade da altura enquadrava-se nesse espírito de subserviência. Contudo, estamos no século XXI e esses fenómenos, essas práticas de vassalagem continuam a resistir. Infelizmente!
Há alguns dias atrás assistiu-se a mais um fenómeno deste tipo. De forma escamoteada, embrulhada nos pergaminhos da constituição da (ainda) república portuguesa, o Presidente da nossa Assembleia, bem como os representantes dos partidos com assento parlamentar, foram a São Bento. Mal ao mundo não vinha se, o objecto dessa deslocação fosse outro, por exemplo, discutir a melhor forma de defender os interesses dos Açores em Lisboa. Contudo, foram entregar um documento essencial no nosso quadro Autonómico: o anteprojecto da revisão do sistema eleitoral açoriano.
Ao entregar, em mão própria, demos mais um passo atrás. Num acto de vassalagem disfarçada, assistiu-se, mais uma vez, à subordinação dos interesses Açorianos.
Mal conduzido desde o início, a começar pela imposição de um prazo para a sua conclusão, o processo de revisão do dito sistema teve um triste fim.
Mesmo aceitando que os nossos representantes cumpriram com o estipulado, é grave verificar que a (ainda) república portuguesa se rege por praticas de vassalagem. Até quando vamos aceitar esses tiques colonialistas de Lisboa?
Se por algum imperativo constitucional havia a necessidade de Lisboa (São Bento) receber tal documento, esse deveria ter sido remetido via correio postal, de preferência com aviso de recepção. Ao menos não nos submeteríamos às práticas colonialistas de sempre.

“Antes morrer Livres que em Paz sujeitos”
“Livre Administração dos Açores Pelos Açorianos”

Regresso

Regresso

Passados uns meses de hibernação voltei...

Até já…

"Livre Administração dos Açores pelos Açorianos"
"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

terça-feira, janeiro 04, 2005

Que 2005 seja um grande Ano

Ano novo, vida nova.

Antes tarde do que nunca...aqui vão os meus mais sinceros votos.

Quanto ao resto anda tudo mais ou menos calmo.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

sexta-feira, dezembro 31, 2004

Bom Ano

Antes que seja tarde...aqui vão os meus votos de umas boas saídas e melhores entradas em 2005. Que o próximo ano traga tudo de bom.
Bom Ano


"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Lá para os lados de Espanha…Vai dar que falar

A aprovação no País Basco, comunidade autónoma de Espanha, do Plano Ibarretxe é, sem dúvida, um marco importante na história contemporânea dessa região, mesmo que não venha a ser ratificado pelas cortes de Madrid.

Com toda a certeza, será um tema de discussão no país de Nuestros Hermanos, marcando a viragem do relacionamento entre Vitória e Madrid.

Igualmente na Catalunha também esta em discussão a alteração do Estatuto dessa região Autónoma. Prevê-se que o projecto do Partido Socialista Catalão (PSC) e da Esquerda Republicana Catalã (ERC), de igual modo revolucionário e ambicioso, se for adiante, lançara mais lume para a discussão em torno das autonomias espanholas.
Estará Espanha à beira de uma convulsão interna?

Tudo isto é importante perceber para podermos encarar outras questões, nomeadamente as relacionadas com a construção de uma Europa Federal, com mais pertinência e acutilância.


"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

quinta-feira, dezembro 30, 2004

Cabeças de Lista !? ....Parte II

É melhor nem tentar perceber essa coisa da nomeação dos cabeças de lista. Não vale a pena, só ocupa os neurónios e mais, leva-nos a acreditar que realmente a classe política dirigente anda-se a borrifar completamente para o povo.

Tanto o PS como no PSD, para não falar dos outros partidos, andam a fazer coisas “estapafúrdias”, sem nexo, indicando para cada circulo cabeças de lista que pouco ou nada representam para a população do mesmo. E ainda se queixam da falta ligação entre os eleitos e os eleitores. Não é para menos e é muito natural que o distanciamento existente aumente cada vez mais. Não existe “interesse nacional” nenhum que valha uma coisa dessas.

A última, que não lembra a ninguém, é que o Dr. Costa Neves, antigo presidente do PSD-Açores, foi indicado cabeça de lista por…Portalegre. Imaginem lá isso! Dá para acreditar? Pois, é verdade, parece uma coisa surrealista. Como é possível que o Dr. Costa Neves se sujeite a uma coisa dessas?

De menos mal. Cá, nos Açores, os nossos cabeças de lista são bem conhecidos nas redondezas.


"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

quarta-feira, dezembro 29, 2004

Perante a tragédia...

Apenas uma citação de uma idosa confrontada com toda a tragédia do "tsunami":

"Isto é pior que a morte"


"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

terça-feira, dezembro 28, 2004

Mais um esquema!

Eis que aparece mais um esquema para reduzir (?) O FAMOSO défice.
Agora lembraram-se de adiar pagamentos da segurança social para Janeiro, não entrando essas despesas de caixa no défice público. É só atirar areia para os olhos do povinho!

O descrédito apoderou-se da vida pública portuguesa. Com esquemas desses, e outros, o povo da (ainda) república portuguesa agoniza-se e perde a vontade de acreditar nas instituições – será que elas existem? - e nas pessoas que comandam esse (ainda) país.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

segunda-feira, dezembro 27, 2004

Cabeças de Lista?!

Felizmente que os cabeças de lista pelo circulo dos Açores – actualmente só o do PS-Açores é conhecido – dizem algo a esta terra.
Felizmente não temos desta vez (esperemos) nenhum pára-quedista nas listas de cá. Meios pára-quedistas já tivemos, num passado bem recente, ao ponto de a maioria dos Açorianos desconhecer o cabeça de lista de então do PS-Açores de seu nome Medeiros Ferreira, ilustre açoriano que passou mais tempo por lá do que por cá.
Felizmente não temos de sofrer nenhum candidato a deputado imposto lá de fora, que dos Açores só tenha ouvido falar nas aulas de história ou nos boletins meteorológicos.

O mesmo não se pode dizer lá por fora. Com que então Luís Filipe Meneses é candidato por Braga? Mas o que fez esse senhor lá para os lados de Bracara Augusta para agora ser cabeça de lista por esse distrito? Que se saiba nasceu em Ovar, trabalhou no Porto e no terreiro do paço, é Presidente da Câmara de Gaia, e as suas ligações a Braga devem reduzir-se, supõem-se, a meras visitas de turista. Por cargas de água é que ele vai encabeçar a lista?
Esperemos que erros desses não sejam de tal forma abundantes e flagrantes, que chegue ao ponto de o povo questinar...Afinal, em quem vou votar?

Ainda falam no divórcio entre o povo e os seus políticos. Com coisas dessas, por exemplo, não é para menos.
Com tudo isto, é de rir quando algumas pessoas falam em falta de representação parlamentar.


"Antes morrer livres que em paz sujeitos"


P.S. Imaginem o que seria termos como candidato pelos Açores o Valentim Loureiro. Faz sentido?

Em que ficamos?

Assim não dá! Isso de demitir-se e voltar atrás, como quem anda num jogo do toca-e-foge, é típico num país “terceiro mundista”.
A demissão do Presidente da CGD não foi avante. O que terá dito Santana Lopes a um tal de Vítor Martins? Deve ter sido qualquer coisa do género: Então Vítor…o que te deu para na cabeça? Afinal já sabias que isso ia acontecer. Ou pensavas que andamos cá a brincar? Toma tino ou ponho a minha ex-central de informação a trabalhar contra ti.

Bom…isso vai de mal a pior. Haja Paciência!

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Sem palavras...(II)


Sem palavras

Sem palavras...


Impressionante...a força da mãe natureza

Perante a tragédia as palavras voam, deixam de ter sentido. Impressionante o que a Mãe Natureza é capaz de fazer.
As minhas mais profundas condolências.

domingo, dezembro 26, 2004

Onda da Morte

Uma referência para a tragédia que se abateu no "outro lado do mundo".


"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

sábado, dezembro 25, 2004

Bom Natal....

Com o dia de Natal prestes a findar, espero que o mesmo tenha corrido da melhor forma.

Bom Natal.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

sexta-feira, dezembro 24, 2004

Manifestação Atlântica


Marina da Horta...Uma das manifestações da nossa dimensão Atlântica

Açores...Simplesmente deslumbrante


O Mar...esse elemento que nos une e separa

Por cá...as Lajes e a sua importância

Aqui esta uma boa análise sobre um tema muito delicado – A Base das Lajes –.
Reis Leite “O Senador”, no seu estilo habitual e com uma clarividência própria de quem já atingiu um estatuto singular na Região, põem a nu algumas das fragilidades desse dossier. A ler, nas entrelinhas e com sentido critico.

Bom Natal

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Transformações sociais

Alguém já reflectiu sobre a transformação egoísta da nossa sociedade?
Alguém já meditou sobre a dualidade, gritante, entre os valores defendidos, pela sociedade com um todo, e os efectivamente praticados?

Talvez já tenha pensado...Bom Natal

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Segredos, Mentiras e Contradições

Correndo muitos riscos, alguns ainda não perfeitamente identificados, não posso deixar passar em branco mais uma série de episódios que ocorreram, imaginem, de ontem para hoje.

Se toda a situação que se vive é insustentável – ministros a contradizerem-se, braço de ferro entre o primeiro-ministro e colaboradores do governo, conferências de imprensa que mais parecem uma comunicação ao bom estilo populista-demagogo, etc. – o governo decidiu brindar o país com mais umas prendinhas.

“Embutido” do espírito natalício, ficamos a saber que o governo da (ainda) república portuguesa autorizou em segredo (?!) a co-incineração numa cimenteira, faltou à palavra, com o Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos, devido à utilização do fundo de pensões da caixa para abater o défice e, utilizou meios públicos, da Câmara Municipal de Lisboa, para um jantar comício do PSD.

Em relação a tudo isto só vale a pena perguntar: - afinal o governo é contra a co-incineração, ou só é por motivos meramente eleitoralistas ou propagandísticos?; - A obsessão pelo défice vai ao ponto de faltar com a palavra dada?; - Aonde para a moralização da vida pública tão apregoada pelo Dr. Portas e companhia?

As respostas são simples.
Sim, o governo só é contra a co-incineração por motivos eleitoralistas, nunca tendo sustentado, em bom português, a recusa por uma técnica cientificamente comprovada como sendo uma das muitas soluções para o tratamento final dos resíduos industriais perigosos. Tanto se é a favor da co-incineração quer estejamos a aqueimar rsu, rip ou rib.
Sim, a obsessão pelo défice vai ao ponto de faltar com os compromissos assumidos, com atitudes eticamente reprováveis típicas de quem pura e simplesmente anda quase em estado de “esquizofrenia”. Se dúvidas existissem, basta somente analisar qual foi a reacção do Presidente da CGD…demitiu-se.
Quanto à moralização da vida pública…essa já vai longe, muito longe. Cedo se percebeu que isso da moral só interessa mesmo em campanha e nela só acredita “meia dúzia de gatos-pingados”, que feitos inocentes ainda acreditam no bem público. Portanto, não é de admirar que o Dr. Portas, mais uma vez, tenha dado um tiro no pé e feito de conta que não é com ele.

Bom, fiquemos por aqui. Em dia de Natal, dia de felicidade, de esperança, de amor e paz, queremos ouvir falar de tudo menos em coisas tristes. Infelizmente lá fora (terreiro do paço) existe um governo que só dá motivos para chorar (ou rir de tanto chorar).


"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

A todos um Bom Natal

A todos um bom Natal....são os meus mais sinceros votos a todas as pessoas deste Planeta.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

quinta-feira, dezembro 23, 2004

O bendito anuncio...

Não sei o porque de tanta espera para anunciar o expectável.
A obsessão pelo défice vai ficar nos manuais da história como sendo um dos actos mais esquizofrénicos dos governos desta (ainda) república portuguesa.
A ver vamos.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Por cá a vida continua

Com toda a confusão que vai lá por fora, corremos o risco dos nossos responsáveis (açorianos) descansarem à sombra da bananeira. Não nos livramos disso, mas espero sinceramente que tal não aconteça.
O que se passa no terreiro do paço, e mesmo que nos influencie um pouco, não deve ser motivo para arranjar desculpas para alguma inércia que possa aparecer por ai.
O ano de 2005 será um ano muito duro, aonde dossiers muito importantes estarão em discussão.
Além do mais, a nossa estabilidade política não está em jogo. Eles (lá fora) que se entendem.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Mais uma...de tiro em tiro até ao tiro fatal!....Parte II

Seria sui generis assistir à demissão de um ministro num governo de gestão. Esteve quase para acontecer! Vá lá…alguém travou a tempo tal situação, se não assistiríamos a uma situação cómica.
Só faltaria perguntar: nem num governo de gestão eles se entendem?

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Medida Interessante para Reduzir o défice

Já que estamos numa de medidas para reduzir o défice, aqui vai uma ajuda.
A ideia é simples e, tendo em conta os altos índices de consumo de álcool no país, deveria trazer alguns proveitos financeiros. Como se diz…em tempo de guerra todos os recursos (financeiros) são poucos.
Pena é que a adopção desta medida seja, nesta altura, ineficaz pois, com a morosidade habitual nas tomadas de decisão, só lá para Dezembro do próximo ano é que poderíamos começar a pensar em regulamentar essa medida. Com jeitinho só para combater o défice de 2006. Ou pensem que essa história não se prolongará muito para além do que possamos imaginar?!)


"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

quarta-feira, dezembro 22, 2004

Mais uma...de tiro em tiro até ao tiro fatal!

Se dúvidas faltassem quanto à credibilidade deste governo da (ainda) república portuguesa, aqui vai mais um argumento a juntar ao rol dos muitos que, infelizmente, assistimos nos últimos meses (anos). Agora é o Tribunal de Contas a dizer que o défice de 2003 (lembram-se?!) é falso.
Em que ficamos? Em quem podemos acreditar?
Realmente esta (ainda) república afunda-se no pântano que entretanto se criou.
Será que esses ministros não se enxergam?

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Será possível?!

Será possível? Esses ministros não se enxergam?
Com os malabarismos orçamentais reprovados por Bruxelas, com o défice largamente acima dos 3% (eventualmente perto dos 5%), com o país a atravessar uma crise de confiança, será possível que o ministro Félix não tenha o mínimo de bom senso?
Pelos vistos não têm. Até teve o desplante de justificar a propaganda do estado – com a publicação da explicação do orçamento – como tendo custado muito pouco…uma quantia irrisória. Será possível?!
Isto está mesmo mal. Já não bastava a conferência de imprensa do “regente” e do seu ministro para as “poucas contas públicas”, e ainda temos de ouvir barbaridades dessas.
Como se diz, em tempo de crise todo o dinheiro é pouco. Só não o é para uns certos senhores.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Tiro no escuro...

Voltando ao tema dos tiros...também o PS anda a dar uns tiros, não se percebendo lá muito bem em que direcção vão. E aqui refiro-me à questão da co-incerenação.
Independentemente da oportunidade da medida, para a resolução dos problemas graves inerentes à existência de resíduos industriais perigosos, o PS já devia ter percebido que anunciar esta medida isoladamente, sem ser num conjunto mais vasto de medidas e planos, é contraproducente e ineficaz. Pelo contrário assusta as pessoas e dá argumentos políticos aos seus adversários.
Esperemos que corrigem a direcção dos tiros.
20 de Fevereiro de 2005 está quase.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Mais um tiro no pé...Parte II

Realmente é triste ver este a decadência a que o governo da (ainda) Republica Portuguesa chegou. São tiros nos pés seguidos.
Não é que agora o governo lembrou-se de explicar o orçamento aos portugueses?! Atrevo-me a perguntar porque não o fizeram nos anos anteriores? Ou será esta publicação mais um elemento da pré-campanha que já começou? De tudo isto, percebe-se que este folhetim tem mão da ex-central de informação do governo, que o governo em tempos quis criar e, que o Presidente da (ainda) Republica fez o favor de chumbar (ao menos tinha de fazer alguma coisa de jeito nesses últimos quatro meses).
Imagine-se agora o que seria se essa central – acho que era assim que se chamava – fosse efectivamente criada! Com toda a certeza teríamos propaganda do estado todos os dias, ao virar de todas as esquinas e em todos os jornais e televisões.
Se não bastassem todas estas duvidas, o Ministro Sarmento – o tal que para além de “apagar fogos” também “manda uns tiros” – com a sua mania de justificar o injustificável, só feio piorar a situação tropeçando nos seus próprios argumentos.
E ainda continuamos a sofrer esse ministro! Esperemos é que seja por pouco tempo. 20 de Fevereiro de 2005 está quase.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Mais um tiro no pé...

De tiro em tiro o Dr. Portas, Ministro da Defesa da ainda Republica Portuguesa, acaba de cometer mais uma “gaffe”. Será que foi mesmo uma “gaffe”? Não terá ele exprimido os seus sentimentos mais profundos – xenófobos – perante os povos do dito “terceiro mundo”?
Agora o perigo vem do sul! Mas a que sul ele se refere?
Será o sul que a Europa criou com centenas de anos de colonização?
Será o sul que o mundo ocidental continua a alimentar com posturas arrogantes e dominadoras?
Será o sul que pretendemos que fique da maneira como está, de modo a alimentar meia dúzia de empresas?
Será o sul que os povos ditos ricos continuam a menosprezar sistematicamente?
Será o sul que o norte alimenta diariamente comprando produtos oriundos de países aonde a mão-de-obra infantil, e muitas vezes escrava, é uma triste realidade?
E ainda continuamos a sofrer esse ministro! Esperemos é que seja por pouco tempo.
20 de Fevereiro de 2005 está quase.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Bom Dia...

Esta coisa da blogesfera anda mesmo muito animada. Agora foi a vez da JS-Açores lançar o seu blog parlamentar. Esperemos que não fiquem por aqui!
Sendo uma iniciativa meritória, resta perguntar para quando o surgimento do(s) blog(es) dos seniores, quer sejam os do PS-Açores ou os do PSD-Açores?
Já agora…seria de todo interessante que a Assembleia Legislativa Açoriana disponibilizasse a todos os deputados um espaço na blogesfera. Assim, os deputados não teriam desculpas para não comunicar com o exterior podendo, deste modo, “descarregar” o que lhes vai na alma, tentando explicar o que muitas vezes cá fora não se percebe. Que tal?

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

terça-feira, dezembro 21, 2004

Alguém sabia que acabava hoje?

Ou não vivemos neste mundo...melhor nesta região, ou então andamos – especifico ando – a dormir. Alguém sabia que o recenseamento acabava hoje?
E contra a minha pessoa falo.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Que todos tenham um bom Natal...

Nesta época natalícia vários sentimentos cruzam as nossas mentes, várias duvidas se levantam.
Será que celebrar o Natal faz sentido? Afinal, o que é isso do espírito natalício? O Pai Natal existe, ou é uma invenção da Coca-Cola?
Com ou sem brincadeiras, o que assistimos nos nossos dias, e por mais que se tente mistificar a época com sentimentos nobres, é apenas um corrida desenfreada ao consumismo mais primário e selvagem que reside em cada um de nós. Ao fim ao cabo o Homem – esse ser magnifico ser que povoa este planeta dito azul – é um animal, racional é certo, mas um animal.
Com aquilo que temos, e não temos, devemos, mais do que combater tudo o que nos rodeia, e que eventualmente não concordamos, ter uma atitude positiva e aproveitar esta altura para realçar os valores que verdadeiramente deviam fazer parte do espírito natalício, sabendo que o Natal devia ser todos os dias e para todas as pessoas deste planeta.

Um bom Natal….e já agora boas compras (para quem quiser ou gostar de as fazer).

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Deveras esquesito

É deveras esquisito esta coisa dos blogs. Fenómeno curioso de que muito se fala e muito se escreveu.
Esta é mais uma das minhas tentativas de por um blog online (ou como se diz em português na rede). As outras tentativas, por razões que a própria metafísica desconhece, foram ingratas pois redundaram sempre no abandono do projecto. Esperemos que desta seja de vez.
Sinceramente não estou à espera que lêem este blog. Se quiserem e tiverem paciência para ler, saudo-os desde já.
Acima de tudo espero que este blog seja um contributo para a minha pessoa.
Um bem haja.

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"